Barão Felix de Vandesment

Edição: Phablo Monteiro - Texto: Professor José - Fotos: Golbery Lessa  Homenagem

 

Ele nasceu na França e chegou ao Brasil para inovar. Escolheu as terras férteis de Atalaia para implantar a primeira usina de açucar de Alagoas. A Brasileiro, em 1891. É o Barão de Vandesmet, nascido Felix Eugene, filho de um industrial francês, que era proprietário de uma fábrica de fiação e lã.

Antes de chegar ao Brasil, Vandesmet instalou-se em Guadalupe, nas Antilhas. Lá, ele e um amigo fundaram uma usina de açucar, colocando em prática sua experiência adquirida na escola de Artes de paris. Daí para frente o caminho foi um só: para frente e com sucesso em todos os empreendimentos que realizava. Ao desembarcar no Rio de Janeiro, procurou o Imperador Dom Pedro II, em sua residência de verão em Petrópolis. Mas nada conseguiu. decepcionado, rumou para a Bahia, onde começou sua vida de trabalho no novo país, gerenciando uma usina de açúcar. Desentendeu-se com um sócio, e, para a felicidade de Alagoas, aportou por aqui; primeiro no Pilar, na época o mais importante empório comercial do interior. Comprou terras e foi aumentando seu patrimônio. Queria construir um ramal ferroviário de Satuba até aquela cidade.

Chegou a Atalaia, e construiu a que sempre foi a mais moderna usina de açúcar de Alagoas. Todos os equipamentos foram importados da Europa, onde existia a mais avançada tecnologia do ramo açucareiro. os navios demoravam muito para fazer a travessia do Atlântico e, ao chegar ao porto de Maceió, seguia pela estrada de ferro até Atalaia, de onde seguia para as obras da usina no antigo Engenho olho D'Água.

A moagem foi iniciada em 1891, com os campos repletos de cana da melhor qualidade. Não esmoreceu ao assistir à quebra de uma moenda e a falta de dinheiro para adquirir outra, que viria da França. Encontrou uma amigo no Pilar, Venceslau Batista, que emprestou o dinheiro, e a compra da máquina foi efetuada.

O espírito empreendedor do Barão de Vandesmet fez com que a estrada de ferro fosse prolongada de Atalaia até a Usina Brasileiro, construindo, ainda uma ponte sobre o Rio Paraíba. Comprou duas locomotivas e as batizou de França e Brasil.

A Usina Brasileiro passou a se constituir num modelo. Na área de saúde, o Barão de Vandesmet instalou uma farmácia, importando medicamentos da França. Médicos de renome naquela época passaram por lá. O avanço da época ficou por conta da aposentadoria dos empregados. Reserva-se parte do lucro da usina para garantir o salário integral a todos aqueles que chegavam a idade de se aposentar. Não existia legislação trabalhista no Brasil, mas Vandesmet implantou a sua própria. Era elogiado em todo o Brasil. Até o então Presidente Afonso Pena fez uma visita à usina e provou da aguardente lá fabricada, que ele próprio rotulou de "Uísque Vandesmet".

Em 16 de agosto de 1929, aos 81 anos, morre o Barão, a quem Alagoas deve muito, por seu trabalho ter estado voltado para a modernização do setor açucareiro e sua ações sociais para os operários. Deixou o exemplo para todos os seus descendentes e o povo alagoano.


Confiram fotos inéditas do Barão Felix de Vandesmet:

Galeria de Fotos

Mais Histórias