Prefeito Zeca Lopes

Edição: Phablo Monteiro - Fonte: Atalaia Último Reduto dos Palmarinos / Ex-Prefeito Aluisio Lopes  Homenagem

 

José Lopes Duarte, mais conhecido como Zeca Lopes, nasceu no dia 12 de Junho de 1905, na fazenda Reino, em Atalaia. Era filho de Ernesto Lopes de Vasconcelos ( que foi Prefeito de Atalaia de 1926 a 1928 ) e de Maria Luiza Duarte de Vasconcelos. Zeca Lopes era casado com Isa de Medeiros Duarte, ex-vereadora e Presidente de Câmara.

Foi Prefeito de Atalaia como interventor em 1945, designado pelo então Governador Ismar de Góes Monteiro. Pertenceu aos partidos PSD, PSP, PTB, PDC, e, nos últimos anos, ao MDB e Arena.

Prefeito por mais três vezes; foi inclusive, o que na época mais conseguiu recursos junto aos Ministérios, o que fez Atalaia antecipar-se ao Programa de Eletrificação Rural no Estado.

Em 06 de Agosto de 1968, o Prefeito Zeca Lopes esteve em Brasília para entregar nas mãos do Ministro dos Transporte na época, um oficio para que fosse construído um viaduto ou uma passarela na antiga BR-11 que corta o município de Atalaia. Quem registrou esse fato foi o Ex-deputado federal Aloysio Nonô em pronunciamento da Tribuna da Câmara dos Deputados Federais: "Sr. Presidente e Senhores Deputados, esteve ontem em Brasília, tendo seguido hoje para o meu Estado, o Prefeito de minha terra natal, a cidade alagoana de Atalaia. Veio, pessoalmente, fazer ao Sr. Ministro dos Transporte, Coronel Mário Andrezza, o mesmo apelo que eu tantas vezes tenho feito desta tribuna, sobre a situação em que se encontra nossa cidade de Atalaia, pelo fato de ser cortada pela BR-11. S. Exa., o Prefeito José Lopes Duarte trouxe, além de um oficio assinado por ele, as última fotografias do sexagésimo quarto desastre de automóvel ocorrido naquela cidade porquanto a BR--101, ao atravessar a ponte sobre o Rio Paraíba, desce abruptamente sobre a principal praça da cidade de Atalaia. E ali, decorrido todos esses anos da construção daquela rodovia, ao tempo do então Governador Arnon de Mello, têm-se sucedido uns aos outros desastres dos mais pavorosos, e este último, já o quinto durante este ano de 68, completa o número 64. Não estando em Brasília o Ministro dos Transporte, deixou o Sr. José Lopes Duarte comigo o oficio e as fotografias para que, quando do regresso de S. Exa. do Amazonas, possa eu, mais uma vez, dirigir um apelo a S. Exa., porque nada mais podemos fazer, nós Deputados Federais. Nada mais podemos fazer nós, congressistas, senão apelos, pois temos bem ciência do quanto vale hoje um Deputado Federal ou um Senador da República."

Zeca Lopes dotou Atalaia das seguintes obras: Grupos Escolares na zona urbana e rural, Postos de Saúde nos povoados, o Centro Cultural Atalaiense, que recebeu o seu nome, a Praça Bi-Centenário marcando os dois séculos de elevação de Atalaia à categoria de Vila (1964), a praça Aloísio Nonô, a estação rodoviária e  hospital e maternidade Darcy Vargas, entre muitas outras. Desapropriou algumas terras para a construção do SESI e da TELASA . Zeca Lopes foi quem instituiu a bandeira de Atalaia e ainda promoveu a escolha do Hino de Atalaia.

O ex-prefeito atalaiense notabilizou-se pela sua atuação como Deputado Estadual dos mais combativos de 1951 a 54, e também como articulista no extinto "Diário de Alagoas", além de outros com seus artigos na coluna Cipó de Fogo, que mantinha com o Pseudônimo de Comendador Bacurau e, principalmente pelas inúmeras obras realizadas no seu município.

Conhecido Prefeito - por Claudio Humberto (2001) Livro Poder Sem Humor.

 Zeca Lopes era prefeito de Atalaia - AL quando resolveu viajar ao Rio de Janeiro e levar com ele um compadre, matuto, que jamais havia visitado uma cidade grande. No Rio, a dupla se perdeu, em meio ao trânsito infernal.

O compadre recorreu ao guarda de trânsito da esquina:

- O senhor viu o Zeca Lopes?

- E eu sei lá quem é?! - respondeu o policial, rispidamente.

Zeca achou o amigo ao ouvir o seu grito de indignação com o guarda:

- O senhor não conhece o Zeca Lopes, prefeito de Atalaia? Pois lá na minha terra ele é mais conhecido que folha de bananeira!

Confira outra passagem engraçadíssima de Zeca Lopes.  Texto extraído do Livro Mil dias de Solidão: Collor bateu e levou, do escritor Cláudio Humberto Rosa e Silva:

Fernando Collor assumiu a direção da Gazeta a 27 de novembro, nove dias depois da chegada a Maceió. E fazia um grande esforço para melhorar o faturamento da empresa.

Logo nos primeiros dias de trabalho, foi informado de que o prefeito de Atalaia, Zeca Lopes, aliado político do senador Arnon de Mello, se dirigia ao gabinenete do pai para pedir a publicação gratuita de uma reportagem elogiando o próprio desempenho na prefeitura.

Esforçando-se para acabar no jornal com o uso desse tipo de moeda política, Collor usou o interfone para prevenir o pai sobre a visita que o aguardava na ante-sala.

Arnon recebia o editor da Gazeta, Márcio Canuto. Mandou entrar o prefeito, pediu que se sentasse e fingiu que retomava com Canuto uma conversa interrompida pela visita inesperada:

- Márcio, o meu filho Fernando está exagerando. Até um discurso meu, do interesse de Alagoas, ele só publica como matéria paga? Isso é um absurdo! O Fernando não pode fazer isso comigo.

Dispensou o funcionário e finalmenge dirigiu-se ao prefeito:

- Zeca, meu amigo, a que devo a honra de sua visita?

O prefeito desconversou:

- Nada não, senador. Eu estava passand aqui perto e resolvi fazer uma visitinha.

Zeca Lopes foi o Prefeito que trouxe à Atalaia a antiga Comesa, através do industrial Benício Monte. No governo Afrânio Lages, o advogado José Costa requereu a falência da Comesa. O Prefeito Zeca Lopes, para evitar o desfecho do processo judicial, decretou a desapropriação de empresa, que, depois, foi transferida para o Grupo Gerdau.

Foi ele que lançou, em 1969, o Prefeito Luiz de Albuquerque Pontes (Luiz Vigário) para a Prefeitura, quando este era vereador e ambos eram do partido MDB.

Zeca Lopes sempre foi uma pessoa brincalhona, alegre, sempre gostou de anedotas, mas sempre levou seus compromissos a sério.

Uma passagem interessante: Zeca Lopes ficou bastante enfezado pois uma pessoa tentou desmoralizá-lo como Prefeito, mas, foi o Zeca Lopes que desmoralizou essa pessoa, no meio da rua, dando uns tapas nela. Essa pessoa foi dar queixa ao então Governador Silvestre Péricles com o Dep. Abraão Fidelis de Moura, quando chegaram lá, o Deputado disse ao Governador:

- Dr. Silvestre trouxe esse homem porque Zeca Lopes deu nele lá em Atalaia. E Silvestre Pericles na mesma hora falou:

- Tem uma coisa Abraão, tire esse "cachorro" daqui, porque ele não é homem não, é um cabra sem vergonha, pois quando Zeca Lopes vem dar numa pessoa é porque ela não presta mesmo.


Ele sempre teve prestígio com todos os Governadores. Foi sem dúvida o Prefeito que mais trabalhou em infra-estrutura em Atalaia e na maioria das vezes trabalhando com recursos do próprio município.

Zeca Lopes sempre amou e fez tudo por Atalaia, esperando que Atalaia um dia fosse grande.

Aluisio Lopes destaca que: "Foi um pai presente, conversando com os filhos como um verdadeiro amigo. Ele gostava de reunir a família e os amigos para contar as suas anedotas, e sempre que estava um pouco irritado gostava de dizer a seguinte frase:   "A se tio Chiquinho fosse vivo! A coisa era outra." Meu pai sempre incentivou os filhos à serem políticos, ele gostava de explicar como deveriam fazer, para não falharem na hora".

Muitos de seus amigos às vezes ficavam chateados com ele:

Zeca, não pode, como você vai botar a mão sobre aquele cara que foi contra você?

E o Prefeito Zeca Lopes respondia:

Meu amigo, você já é meu amigo, deixe eu botar a mão por cima dele pra trazer ele pro nosso lado.


"Ele foi tudo na minha vida, ele e a minha mãe. Era meu pai quem me dava os conselhos que me ajudaram tanto. Ele foi o maior político dentro de Atalaia e um dos maiores de Alagoas. Chegou até a brigar com o então Governador Arnon de Mello por Atalaia." Depoimento de seu filho Aluisio Lopes
     
Em 14 de setembro de 1977, Zeca Lopes, com 72 anos de idade, faleceu cerca das 3h30m. Foi sepultado as 16 horas em Atalaia e seu sepultamento foi o mais concorrido da história de Atalaia. A Assembléia Legislativa suspendeu sua sessão e o vice-prefeito, que estava em exercício, Miguel Correia, declarou luto oficial por três dias.

O eterno Prefeito foi vitimado por grave doença que piorou após o término do seu mandato de Prefeito.

Compareceram ao sepultamento centenas de pessoas do Município e do Estado, representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, do Exército, o desembargador Olavo Cahet, além dos professores, estudantes e dirigentes dos Colégios Particulares e Escolas Municipais. A organização Arnon de Mello esteve representado por Eder Lopes.

No dia 16 de setembro de 1977, da Tribuna da Câmara dos Deputados Federais, o Deputado José Alves (AREANA - AL), leu o seguinte pronunciamento:

"Sr. Presidente, um dos políticos mais tradicionais do Estado de Alagoas faleceu anteontem. Fui à cidade de Atalaia prestar minha homenagem a José Lopes Duarte, que várias vezes governou o antigo próspero Município. Posso dizer que a minha presença, naquela hora, significava também o testemunho de admiração, o agradecimento de uma geração de políticos mais novos àquele que durante décadas sempre participou dos acontecimentos mais importantes da “Terra dos Marechais”.

Com 72 anos de idade, José Lopes Duarte por várias vezes exerceu mandatos representando o povo atalaiense. Ocupou a Prefeitura várias oportunidades, foi Deputado Estadual, atuante político em defesa dos interesses municipais. Foi também Zeca Lopes, como era conhecido do povo do interior e no Estado inteiro, Delegado do antigo Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários – IAPC – tabelião, fundador e Presidente do Conselho Deliberativo da Associação dos Serventuários e Auxiliares da Justiça de Alagoas; fundador ainda da União dos Prefeitos e da Associação dos Fornecedores de Cana de Atalaia. Fundador e provedor, até a morte, do Hospital e Maternidade Darcy Vargas, daquele município.

Tive a honra de ter sido um dos seus numerosos amigos e também de merecer seu apoio, e de sua família e o dos seus amigos em todas as minhas atividades políticas. Incansável na defesa do seu município, sempre conseguiu recursos adicionais para as obras que tantos benefícios vem prestando à população atalaiense. Eletrificação rural e escolas em todos os recantos, marcaram, sem qualquer dúvida, a sua passagem como administrador. Ultimamente acompanhava com imensa alegria o programa de combate a esquistossomose, executado em Alagoas pelo Ministério da Saúde e do qual Atalaia é um dos municípios mais beneficiados. Sei que encerrou o seu último mandato a menos de dois anos, com a certeza de ter cumprido o dever.

Realizado em todos os setores da atividade humana, José Lopes Duarte, o festejado e querido patriarca, Serventuário da Justiça, jornalista, ex-prefeito, ex-Deputado Estadual, deixa viúva a Srª Isa de Medeiros Duarte e uma grande família, da qual há que destacar os 28 netos e 10 bisnetos."


Seus familiares atenderam ao pedido por ele feito semanas antes de seu falecimento: Sepultaram-no no cemitério de Atalaia com a bandeira de Atalaia, bandeira criada pelo próprio Prefeito.

 


Galeria de Fotos

Mais Histórias