Dr. Luiz Augusto da Rocha Tenório

Edição: Phablo Monteiro  Homenagem

 

Nascido na cidade de Pilar – Alagoas aos 04 de abril de 1923, filho de Antonio Tenório de Albuquerque e Eugênia da Rocha Tenório. Seu pai trabalhava como fiscal de tributos federal na cidade de Belém do Pará e sua mãe era do lar. Após 10 (dez) anos de trabalho na alfândega do porto em Belém, foi transferido para cidade de Maceió –Alagoas, exercendo a mesma função e fixando residência definitiva neste estado.

Dr. Luiz Augusto estudou no colégio Diocesano na cidade de Maceió e logo após o término de sua formação estudantil foi para cidade do Recife onde fez faculdade de medicina na universidade federal de Pernambuco (UFPE) onde se formou médico clínico geral e obstetra em 11 de dezembro de 1948. Retornando para Alagoas logo em seguida para exercer sua profissão como médico residente na cidade de Atalaia.

Casou-se em 22 de setembro de 1953 com a jovem senhorita Maria Sofia Ferreira Tenório, filha do ilustríssimo vereador da cidade de Atalaia Nestor de Tenório Oliveira e da Senhora Maria Rosa Ferreira Tenório. Teve 04 (quatro) filhos: Roberto Luiz Tenório (falecido), Sérgio Augusto Tenório, Antonio Nestor Tenório e Luiz Henrique Tenório.

Exerceu a medicina na cidade de Atalaia de forma dedicada e caridosa a tal ponto que por influência de seus amigos, familiares e por que não dizer da população atalaiense, ingressou na carreira política, cujo o mandato de vereador extrapolou os limites do município e foi eleito deputado estadual por dois mandatos, os quais foram pautados sempre em prol do bem estar dos cidadãos.

Adotou a cidade de Atalaia como sua morada, pois vislumbrava naquelas terras junto ao rio Paraíba, uma cidade promissora de gente amistosa e de bons costumes, a qual, mesmo após aposentar-se de suas funções de médico e político, continuou freqüentando-a todos os finais de semana.

Sua vida funcional foi diversificada, prestou serviços como médico nas usinas: Brasileiro, Uruba e Ouricuri, assim como nas cidades circunvizinhas a estas empresas. Foi chefe do posto da antiga DNRU, teve pacientes no antigo INPS hoje INSS, prestou serviços a EMCO, foi médico do Hospital Darcy Vargas em Atalaia, manteve consultório atendendo as pessoas carentes da cidade, atendeu como plantonista no SANDU pertencente a Santa casa de Misericórdia de Maceió, chegando a diretor daquela instituição (SANDU). Atendeu no Hospital do Açúcar, no hospital São Sebastião (UNIMED), na clínica de fraturas e reabilitação e foi médico plantonista na época do tiroteio ocorrido no prédio da Assembléia Legislativa do Estado de Alagoas, onde socorreu diversos parlamentares. Foi médico da empresa Salgema na época de sua instalação em Maceió.

Na carreira política, foi vereador pela cidade de Atalaia, eleito presidente da Câmara Municipal, e logo após foi eleito prefeito em 05 de outubro de 1955. Foi também eleito deputado estadual com o apoio da cidade de Atalaia, tendo cumprido 02 (dois) mandatos no período de 01 de fevereiro de 1959 a 31 de janeiro de 1967.

Seus bons exemplos como pessoa e como profissional, serviu positivamente de exemplo para inúmeras pessoas como veremos no depoimento dado pelo senhor Dr. Mario Jorge Martins em 2008 ao site Marcas da Saúde: "Lembro-me perfeitamente quando tinha apenas de 4 para 5 anos de idade, meu pai, doente vitimado pela terrível esquistossomose mansônica, recebia visitas médicas em nossa casa, do Dr. Luiz Augusto da Rocha Tenório, muito conhecido naquela região de Atalaia e circunvizinhanças por ser um dos usineiros da usina Ouricuri e que posteriormente foi prefeito daquele município. Pois bem, eu me lembro perfeitamente desse passado distante, mas que continua impregnado na minha memória: o Dr. Luiz Augusto era médico, chegava lá em casa e parava o seu Austin of England, verde claro, para consultar o meu pai, pobre agricultor de um país que nunca deu o devido valor aos agricultores, esses verdadeiros heróis anônimos, pois foram e continua sendo os esteios que sempre sustentou esta pobre-rica nação. Aquelas lembranças sempre ficaram encravadas na minha memória até que nos meus 7 a 8 anos, quando do término do primeiro ano primário, Dona Luzia Tibúrcio de Melo, minha eterna professora, me perguntou o que eu queria Ser quando crescesse; não tive dúvidas e respondi: quero ser médico dona Luzia".

Em depoimento publicado no antigo Jornal Folha Atalaiense, da saudosa Vandete Pacheco, o sr. Getúlio Pereira Leite comenta que: "Quem de minha geração não se lembra de um médico humanitário, o Dr. Luiz Augusto da Rocha Tenório. Figura humana excelente, bom profissional, simpático, caridoso, amigo, enfim, um verdadeiro médico e gentleman. Fazia medicina com amor. Não fazia distinção entre seus pacientes ricos ou pobres. Atendia-os com a mesma dedicação. Era, inegavelmente o médico da família. A propósito, parece que atualmente está desaparecendo esta espécie de médico. Dirigiu, por certo tempo, com capacidade, o antigo Posto de Saúde que fica localizado perto da também antiga estação ferroviária. Trabalhava em parceria com o sr. Eurico Tenório de Albuquerque, excelente enfermeiro, formando um dupla de abnegados profissionais. Bastavam olhar e/ou colocarem a mão no local dolorido do paciente para diagnosticarem com precisão a doença. Inclusive, já naquela época, faziam exames de laboratórios com eficiência. Isto tudo na década de 1950. Era costume, em Atalaia, naquele tempo, os jovens terem como um dos divertimentos tomar banho no Rio Paraíba, contraindo ameba e schistosomose e recorriam para o devido tratamento aos serviços prestados por Dr. Luiz e seu Eurico. Quando Prefeito, fez a reforma do campo de futebol do CSA (Centro Sportivo Atalaiense) depois denominado Independente. Como uma justa homenagem, nós, os jogadores de então, colocamos o nome do Estádio de Prefeito Luiz Augusto. Quando Deputado, foi um dos baluartes e defensores para a criação, instalação e funcionamento do Ginásio Nossa Senhora das Brotas, do qual fiz parte da primeira turma concluinte em 1966. Se afastou da política e se aposentou como médico do INAMPS. Continuou sendo aquela pessoa simples e amiga. Não ficou rico, morou numa casa modesta no bairro do Farol, em Maceió, Alagoas. Viveu honestamente de seus vencimentos da aposentadoria. Pessoas da estirpe de Dr. Luiz Augusto engrandecem e servem de exemplo às novas gerações de atalaienses. Atalaia muito deve a este grande médico".

Faleceu em 02 de abril de 2003 deixando um legado de bons exemplos para sua família, bem como para aqueles que o conheciam e o admiravam.

Foi um homem caridoso, dedicado ao seu trabalho e a sua família e sempre buscou levar, limitado pelas condições da época, conforto aqueles que necessitavam de seus préstimos como médico que de forma incalculável tinha uma capacidade de curar seus pacientes.

Deixou muitas saudades.

EM SUA HOMENAGEM, O PLENÁRIO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ATALAIA (1ª Foto) E O CAPS (2ª Foto) RECEBERAM O NOME DE DR. LUIZ AUGUSTO DA ROCHA TENÓRIO

Mais Histórias