Zé Neto

Edição: Phablo Monteiro - Fonte: Familiares  Homenagem

 

No pequeno Povoado de Bittencourt, aos 12 dias do mês de junho, no longínquo ano de 1945, nascia José Rocha da Silva, popularmente conhecido como Zé Neto. Filho do Sr. Manoel da Rocha Silva e de D. Maria Alexandre da Silva.

Ao atingir a maioridade começou sua vida profissional trabalhando no campo da extinta Usina Ouricuri de Açúcar e Álcool e logo em seguida passou a trabalhar na Prefeitura Municipal de Atalaia exercendo a função de Gari. Depois, passou a ser tratorista, motorista de carro de som e de ambulância, tendo se aposentado no ano de 2000.

Aos 22 anos de idade, no dia 12 de junho de 1967 contraiu matrimônio com D. Maria Sallet Silva, de cuja união geraram 5 filhos: Antonio Maria, Katilene Maria, José Rocha Junior, José Jonathas e Gilliard Ângelo.

Católico Apostólico Romano, iniciou seus trabalhos religiosos pertencendo a Congregação Mariana da Igreja de Nossa Senhora da Conceição. Participou ativamente da Pastoral da Criança e do ECC (Encontro dos Casais em Cristo). Em 1997 fundou a Comunidade Santa Edwirgens no antigo Povoado 21. Em 1997 a comunidade Santa Edwirgens ganhou um terreno para a construção de uma igreja. Após várias campanhas coordenadas por ele e com a ajuda de moradores, empresários e políticos, em 1998 a construção da Igreja que antes era um sonho, tornou-se realidade e pronta para as orações e festividades religiosas.

Mas, sua luta não era só religiosa, pois batalhou muito para mudar o nome do Povoado 21 para Bairro Santa Edwirgens, projeto que foi aprovado por unanimidades dos vereadores da Câmara Municipal. Em função do alto índice de desemprego na comunidade, criou uma campanha para retirar os jovens das drogas, da violência e do analfabetismo o que resultou em grande vitória, pois seus projetos foram realizados. Exemplo desse sucesso, foi a CACMA, que era o Centro de Apoio à Cultura, onde chegou a atender 200 adolescentes e crianças, que participavam de duas Bandas Fanfarras, escolas de dança e de um grupo teatral. Ainda era ministrada no Centro da cidade aulas de reforço para crianças com dificuldades de aprendizagem.

Além disso, a Pastoral da Criança, da qual fez parte, ajudando centenas de crianças, com distribuição de cestas básicas, auxilio maternidade, acompanhamento semanal das crianças e das mães, com distribuição de brinquedos em datas festivas do ano.

A comunidade por ele criada também gerou empregos, principalmente com os trabalhos da fibra da bananeira através do FIBRART, cuja produção ainda hoje é exportada e comercializada por grandes empresas da região. Zé Neto coordenou cursos de vagonite, de detergente e de fibra da bananeira em convênio com o SEBRAE. 

Foi um grande admirador do folclore alagoano, fundando em 1980 a Pastoril Nossa Senhora das Brotas. Organizou a 1ª Quadrilha Junina do município de Atalaia, a "Quebra-Coco". Também carnavalesco, desfilou por 2 anos com a Escola de Samba "Os Caretas". Semi analfabeto, Zé Neto, como cariosamente era chamado, foi um SONHADOR e um REALIZADOR.

Faleceu no dia 12 de setembro de 2007.


Fotos da Banda Fanfarra em desfile pelas ruas de Atalaia:





 

Mais Histórias