Mais atrativa: Robótica dinamiza ensino de ciências exatas em Atalaia

 

Na Escola Estadual Floriano Peixoto, aprendizagem de física e matemática ficou mais interativa

Fonte: www.agenciaalagoas.al.gov.br - Texto: Ana Paula Lins 20/09/2016 23:00  Destaque

 

Vista durante muito tempo como uma tecnologia distante de filmes de ficção científica, a robótica se mostra, cada vez mais, uma importante ferramenta para otimizar o ensino das ciências exatas na Educação Básica. Na Escola Estadual Floriano Peixoto, em Atalaia, a tecnologia dinamizou as aulas de matemática e física no ensino médio.

Com 1.600 alunos matriculados, a unidade de ensino foi uma das 50 escolas contempladas pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) com laboratórios de robótica no final de março. Após formação ofertada pela secretaria para professores e alunos, cada instituição passou a desenvolver suas próprias ações.

Coordenado pelos professores Cícero Alexandre Pereira, de matemática, e Anthony Sales, de física, o projeto de robótica da Floriano Peixoto traz, todo dia, novas descobertas para os alunos. “Eles estão aprendendo sobre manuseio de sensores, fundamentos de programação. Tudo é novidade e eles estão muito empolgados. Acreditamos que o ano que vem esse programa poderá ter uma dimensão maior”, prevê Cícero Alexandre.

A tecnologia também permitiu aos estudantes vivenciar de forma dinâmica e interativa conceitos aprendidos em sala de aula. “Eles estão aplicando muitas teorias aprendidas em sala de aula; cálculos da matemática e conceitos de mecânica, movimento e eletrônica da física”, explica Anthony.

Aulas mais dinâmicas

Os estudantes que participam do projeto enumeram os benefícios que a tecnologia proporciona para o seu aprendizado. “Estamos aprendendo coisas novas e também desenvolvendo o espírito de equipe, pois todos os trabalhos são desenvolvidos por grupos de quatro pessoas. E tudo isso ainda dinamiza nossas aulas, pois sempre remetemos a conteúdos que aprendemos na sala de aula”, destaca Adriana Pereira, aluna da 2ª série do Ensino Médio.

Para Elber de Farias, também aluno da 2ª série, a robótica impulsionou uma paixão já existente: desde criança, ele é interessado em mecânica e computação, tendo inclusive montado sozinho o seu computador. “Quando o projeto começou, fiquei ainda mais estimulado a estudar esses temas. Nossa meta é, no futuro, participarmos de eventos de robótica”, revela Elber, que, ano que vem, pretende disputar uma vaga no curso de medicina ou nas áreas de tecnologia da informação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A gerente da 4ª Gerência Regional de Educação, Rosileide Queiroz, informa que, além da Floriano Peixoto, os projetos de robótica estão em andamento também na Escola de Ensino Integral Joaquim Diégues, em Viçosa. “Sentimos que os alunos estão muito estimulados com a robótica, pois a mesma permite que o conteúdo de ciências exatas saia da teoria das lousas e ganhe vida em experimentos práticos”, afirma.

 

Notícias Relacionadas