Agentes de Saúde e de Endemias participam da greve nacional na terça, dia 20

 

Trabalhadores querem reajuste do piso salarial nacional, congelado desde 2014.

Edição: Phablo Monteiro - Fonte: CUT 18/06/2017 09:30  Destaque


Nesta próxima terça-feira, dia 20 de junho, os ACSs Agentes Comunitários de Saúde e os ACEs – Agentes de Combate às Endemias do município, participaram de um ato nacional de paralisação para lutar por seus direitos. A greve, que está sendo convocada pela FENASCE - Federação Nacional de Agentes de Saúde e de Combate às Endemias, entidade filiada à CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social, tem como pontos centrais de sua pauta de reivindicação o reajuste do piso salarial nacional, que está congelado desde que foi criado, em 2014, e a formação de uma mesa nacional de negociação para discutir o piso e as demais demandas da categoria.

A greve foi aprovada em assembleia realizada pela FENASCE em 19 de maio. Em reunião de planejamento da direção da CNTSS/CUT, realizada no final de maio, em São Paulo, foi aprovado, por unanimidade, o apoio à greve.

O vice-presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde de Alagoas – SINDACS, Neto Braz, vem mobilizando a participação de todos os agentes de Atalaia e da população para aderirem a esta luta, que além de cobrar a efetivação por parte do Governo Federal do reajuste da categoria, é contrária a reforma trabalhista.   

“Estamos convidando todos os Agentes Comunitários de Saúde e todos os Agentes de Combates as Endemias, mas é importante também a participação da população atalaiense para juntos participarmos da Greve Geral no próximo dia 20 de junho. A partir das 08:30 estaremos nos concentrando próximo ao Banco do Brasil e realizando uma caminhada até a Praça do Trevo. Na oportunidade estaremos somando nossas vozes aos demais companheiros espalhados em todo o Brasil, cobrando do Governo Federal o reajuste do piso da categoria, pois já estamos há três anos sem recebê-lo”, destacou Neto Braz.

Em reportagem ao site da CUT, o presidente da FENASCE, Fernando Cândido, destaca que o conjunto de representações dos ACSs e ACES devem mobilizar suas bases para que a greve tenha força de fato para exigir do governo federal o reajuste do piso salarial nacional. Ele faz uma avaliação positiva da adesão dos trabalhadores por todo o país. “Temos encontrado apoio inclusive de sindicatos não filiados à FENASCE. É fundamental que os trabalhadores e dirigentes de entidades entendam a importância desta ação. Estamos levando nossas reivindicações também para discutir nos Legislativos, mas é preciso entender que este instrumento de ação constitucional que é a greve tem seu forte papel na luta dos trabalhadores,” afirma.

Notícias Relacionadas