Com o Cadastro Único nos Bairros a cidade Atalaia alcança a meta de atendimento do Bolsa Família

Edição: Phablo Monteiro - Fotos: Divulgação 08/12/2017 13:30  Cidade



Nesta última quinta-feira (07), a equipe do Bolsa Família em Atalaia deu continuidade ao Cadastro Único nos Bairros. O município de Atalaia vem tendo progresso na disseminação das informações pertinentes ao Cadastro Único para Programas Sociais e Programa Bolsa Família. “A intenção é melhorar os índices, acompanhar melhor as famílias e incluir os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada - BPC, que ainda não procuraram o cadastro único para fazer a inclusão ou atualização dos dados da família”, destaca o diretor do Bolsa Família em Atalaia, Lucas Vigário.

Além disso, as informações sobre acompanhamento de condicionalidades da saúde e educação e responsabilidade dos pais é pauta em todas reuniões.

O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias extremamente pobres (com renda mensal de até R$ 85,00 por pessoa) ou pobres (com renda mensal de R$ 85,01 a R$ 170,00 por pessoa), identificadas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Em Atalaia, há 7.329 famílias beneficiárias do Bolsa Família. Essas famílias beneficiárias equivalem a um grande percentual da população total do município, e inclui 3.013 famílias que, sem o programa, estariam em condição de extrema pobreza. No mês de novembro de 2017 foram transferidos R$ 1.362.662,00 às famílias do Programa e o benefício médio repassado foi de R$ 185,93 por família. Conforme estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública federal vinculada ao Ministério do Planejamento, a cada R$ 1,00 transferido às famílias do programa, o Produto Interno Bruto (PIB) municipal tem um acréscimo de R$ 1,78. A cobertura do programa é de 107,54% em relação à estimativa de famílias pobres no município. Essa estimativa é calculada com base nos dados mais atuais do Censo Demográfico, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Atalaia já alcançou a meta de atendimento do programa. “O foco da gestão municipal deve ser na manutenção da atualização cadastral dos beneficiários, para evitar que famílias que ainda precisam do benefício tenham o pagamento interrompido. A qualidade dos dados cadastrais aumenta a possibilidade de que todas as famílias pobres e extremamente pobres do Município sejam beneficiárias do Programa”, comenta Lucas Vigário.
 

 

Notícias Relacionadas