Vereador Toni Barros cobra do Banco do Brasil uma maior agilidade no pagamento dos trabalhadores da Massa Falida da Laginha Agroindustrial - Usina Uruba

Edição: Phablo Monteiro - Fotos: Phablo Monteiro e Google 05/06/2018 19:50  Cidade


Na Sessão desta terça-feira, dia 05 de junho, o Vereador TONI BARROS apresentou requerimento junto aos seus Pares, no sentido de solicitar ao Gerente Geral do Banco do Brasil S/A, agência de Atalaia/AL, a ampliação no atendimento e no respectivo pagamento diário aos trabalhadores da falida Usina Uruba. Visto que hoje não passa de 50 pagamentos efetuados ao dia.

TONI BARROS, falou que nasceu na Usina Uruba e acompanha de perto o drama dos pais de família que vem sofrendo durante os últimos 05 (cinco) anos sem nada receber daquela Usina referente aos trabalhos prestados durante uma vida.

Parabenizou a equipe que faz a vara da Justiça do Trabalho de Atalaia, capitaneada pelo Dr. Ricardo Tenório, Juiz Titular daquela justiça. Reconhecendo a celeridade que estão confeccionando os ALVARÁS de pagamento, com isso dando uma valiosa contribuição a sociedade atalaiense.

No entanto, tal trabalho vem esbarrando na morosidade e falta de respeito que a instituição bancária de Atalaia (Banco do Brasil) vem tratando os trabalhadores credores. Em uma total afronta a dignidade humana, vez que muitos deles terão de esperar cerca de 60 dias para receber um dinheiro que está a quase 30 (trinta) dias depositado. E o mais assustador é que a grande maioria possui conta bancária naquela instituição.

Ressaltou que são cerca de 1.600 (hum mil e seiscentos) trabalhadores que foram contemplados com a quantia de 05 (cinco) mínimos reportados ao ano de 2014, perfazendo R$ 3.620,00 (três mil seiscentos reais) por trabalhador.

Informou ainda que neste mês de junho a Massa Falida estará recebendo a 2ª parcela pela venda das Usinas de Minas Gerais, algo em torno de R$ 50 milhões de reais. E ao que tudo indica no mês de julho será dado seguimento ao pagamento dos trabalhadores, com expectativa de quitar os débitos trabalhistas em valores até 30 mil reais.

Por fim, destacou a importância deste pagamento para os trabalhadores, bem como para o município, visto que a grande maioria servirá para oxigenar a economia local e ao próprio Banco do Brasil. Portanto, nada mais justo que o Banco promova um esforço concentrado no sentido de acelerar a liberação dos pagamentos aos tão sofridos trabalhadores da Usina Uruba.

 

Notícias Relacionadas